Sociedade

Brasil dizima políticas públicas, diz pesquisador

Coryntho Baldez

Foto colorida de trabalhador cortando cana em condições análogas ao trabalho escravo.
Trabalhador cortando cana em condições análogas ao trabalho escravo. Foto: Rogério Paiva (Ascom MPT)

Nos anos recentes, o Brasil sofreu um revés político que rebaixou drasticamente o patamar das políticas públicas de inclusão social e redistribuição de renda. A análise é de Vantuil Pereira, diretor do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas em Direitos Humanos Suely Souza de Almeida (Neep-DH/UFRJ), em entrevista ao Conexão UFRJ.

Doutor em História, o pesquisador considera que os interesses dos grupos que estão hoje no poder tendem a aniquilar as políticas públicas de combate às desigualdades sociais e de ampliação da cidadania. Um exemplo, diz, foi o desmonte das ações estatais de proteção contra o trabalho escravo após forte pressão dos representantes do agronegócio.

Para Vantuil, o Brasil vive hoje um Estado de exceção. Ele cita, de um lado, a coação exercida sobre os moradores das favelas e periferias pobres por meio da violência policial – no Rio, travestida de iniciativas pacificadoras – e, de outro, as violações judiciais a garantias constitucionais consagradas (a entrevista foi feita antes da intervenção militar no Rio de Janeiro, que intensificará a situação descrita pelo pesquisador em áreas socialmente excluídas) 

Assista.