Sociedade

Brasil dizima políticas públicas, diz pesquisador

Coryntho Baldez

Edição 12 / Fevereiro / Março de 2018
Foto colorida de trabalhador cortando cana em condições análogas ao trabalho escravo.
Trabalhador cortando cana em condições análogas ao trabalho escravo. Foto: Rogério Paiva (Ascom MPT)

Nos anos recentes, o Brasil sofreu um revés político que rebaixou drasticamente o patamar das políticas públicas de inclusão social e redistribuição de renda. A análise é de Vantuil Pereira, diretor do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas em Direitos Humanos Suely Souza de Almeida (Neep-DH/UFRJ), em entrevista ao Conexão UFRJ.

Doutor em História, o pesquisador considera que os interesses dos grupos que estão hoje no poder tendem a aniquilar as políticas públicas de combate às desigualdades sociais e de ampliação da cidadania. Um exemplo, diz, foi o desmonte das ações estatais de proteção contra o trabalho escravo após forte pressão dos representantes do agronegócio.

Para Vantuil, o Brasil vive hoje um Estado de exceção. Ele cita, de um lado, a coação exercida sobre os moradores das favelas e periferias pobres por meio da violência policial – no Rio, travestida de iniciativas pacificadoras – e, de outro, as violações judiciais a garantias constitucionais consagradas (a entrevista foi feita antes da intervenção militar no Rio de Janeiro, que intensificará a situação descrita pelo pesquisador em áreas socialmente excluídas) 

Assista.