Sociedade

A demolição da Previdência está sendo feita sem debate

Coryntho Baldez

Imagem colorida do ato que centrais sindicais realizaram em 25/5 em Brasília contra a Reforma da Previdência.
Centrais sindicais realizaram em 25/5 ato em Brasília contra a Reforma da Previdência. Foto: José Cruz (Agência Brasil)

No momento em que o governo federal cogita até fazer mudanças na Previdência por meio de medida provisória, o vice-presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), Eduardo Brandão, defendeu um debate transparente e amplo sobre o tema.

“Se alguma alteração for necessária, é preciso uma discussão muito maior com toda a sociedade, e não apenas sobre restrição de direitos”, frisou.

Após participar, no dia 18/5, do primeiro debate da campanha Brasil Pra Quem – promovida pela UFRJ para discutir temas relevantes para a sociedade brasileira ¬–, Brandão analisou, em entrevista ao Conexão UFRJ, como a atual proposta de Reforma da Previdência afetará o servidor público. Veja abaixo:

O professor e especialista em Previdência José Miguel Bendrao Saldanha, da Escola Politécnica, que também participou do debate, classificou a proposta do governo como uma demolição da Seguridade Social.

“A chamada ‘reforma’ apenas retira direitos. Aumenta o tempo para se aposentar, diminui os valores dos benefícios, das pensões, proíbe acumulações. O objetivo que está por trás é fazer as pessoas terem menos confiança na previdência pública e correrem para a iniciativa privada”, destacou.

Veja a entrevista completa.